ELISA BARBOZA

Exclusivamente para www.MeetingVenus.com
por Sherif Awad

Elisa Barboza

-Brasileira. Nasci no Paraná, em Quedas do Iguaçu, onde minha família ainda mora, mudei do interior para a capital paranaense e depois para a cidade de São Paulo, onde moro atualmente. Nasci em maio de 1977, numa família cheia de amor e simplicidade, onde se preserva o amor mais puro que se pode esperar. Meus pais são dois anjos maravilhosos e tenho 4 irmãos lindos. Depois nasceu Raul, meu único filho e maior amor. Profissionalmente aos 14 anos de idade comecei a me interessar por música, logo comecei a trabalhar em uma emissora de rádio na cidade onde nasci, como locutora, uma das minhas profissões hoje. Simultaneamente atuava como modelo de algumas marcas locais de roupas e mais tarde, quando mudei pra São Paulo, grandes marcas brasileiras. Hoje sou atriz de uma cia de teatro chamada Os Satyros, com sede em SP.

-Percebi na escola que tinha uma inclinação e nunca consegui deixar isso de lado, sempre busquei trabalhar com artes, então fiz muitas coisas para continuar e me descobrir. Já trabalhei e ainda trabalho como locutora, apresentadora, modelo, atriz, produtora, são meus meios de trabalho e quero melhorar cada vez mais nas coisas que estou fazendo. 

-Na adolescência não ia ao cinema, até  hoje não tem cinema na minha cidade natal. Nem teatros. Só conheci e fui a um cinema depois de adulta e quando morava na cidade de Curitiba. Teatro também. Na adolescência só tinha rádio e TV  e filmes na televisão era tudo que eu já tinha visto sobre cinema,  isso mudou só quando nasceu a internet, mas aí eu já tinha crescido um pouco e até me lembro de ter feito o primeiro curso de informática surgiu na cidade, muito deslumbrada naqueles computadores grandes, enormes. No teatro a inspiração sempre será a nossa musa Fernanda Montenegro por toda a sua história e resistência. Por vencer o tempo e permanecer forte, firme, corajosa. Na dança gosto da Escola do Teatro Bolshoi e seus trabalhos espetaculares e perfeitos. Na televisão sempre gostei de assistir canal aberto e então gostou desse perfil de apresentador popular, com shows animados e cheios de atrações ‘porcaria’, que preenchem as horas e não acrescentam muito na nossa vida. O cinema brasileiro me encanta e tenho muito amor pelo trabalho do diretor Marcelo Galvão que possui alguns títulos publicados e meu longa preferido dele “Colegas”.

-Ao longo do tempo a gente estuda e melhora as nossas técnicas, aptidões, o nosso desempenho. O lucro melhora se estudarmos mais. Se posso recomendar algo é estude sempre. É o que tento fazer dentro das condições a vida me permite. Desejo fazer muitos cursos e ficar uma profissional sempre melhor. Sobre se tornar um artista é percepção, a gente vai se descobrindo, se aceitando, se achando, é natural,  quem nasceu artista vai desenvolver e encontrar seus caminhos. Sempre encontra.

-Sou bem satisfeita com o trabalho que desenvolvo hoje e estou muito feliz com os resultados que consigo ter. Ainda não pensei em carreira internacional, mas também não descarto a possibilidade. Deixa acontecer ao seu tempo e se tiver que ser. A gente nunca sabe o que a vida nos reserva.

-Existe, mas vou passando por cima dessas coisas e me desenvolvendo, acho que as equipes por onde tenho passado já se mostram mais diversas, ainda bem longe de estar maravilhoso, mas já é possível ver que estamos melhorando um pouco, sou otimista e tento reunir gente boa para trabalhar comigo. Assim vai dando certo. Vou vencendo as barreiras. A maior dificuldade que as pessoas enfrentam pra produzir está mais relacionado ao poder econômico que o profissional possui, se você tem dinheiro é possível ser e fazer qualquer coisa que você imaginar e se você não tem, pois, vai demorar muito mais para alcançar suas metas. Como em outras profissões. E sobre ainda existir diferenças “gênero versus profissão”: precisamos acabar com isso! Já ficou bem velho e ultrapassado.

-Marginalizaram os artistas e o setor cultural.  Baixo ou nenhum investimento. Algumas dificuldades diárias e muita força de vontade dos profissionais dessa área, uma gente raçuda e cheia de brilho que merece vencer.

-Aborda os trabalhos oferecidos todos com muito carinho e atenção. Cada texto de teatro, tv ou cinema que recebo pra ler e avaliar faço com o coração aberto e cheio de empolgação. Quando alguém lembra de me chamar pra leituras de peças e/ ou de um roteiro de cinema, por exemplo, eu fico muito feliz, é uma troca de conhecimento e uma experiência boa de incluir na rotina profissional. Cada personagem é uma delícia de viver. Atuar é mágico e você pode ser outras pessoas e foi isso que me encantou, essa experiência, poder ser outras. 

-Continuar fazendo: Estou em cartaz no teatro Os Satyros, na praça Roosevelt 214, Consolação/SP - Brasil, sempre de quinta a sábado, às 21h, com a peça Baderna Planet, de Ivam Cabral e Rodolfo García Vásquez. Quem estiver na cidade está convidado e no futuro espero sempre poder convidar as pessoas para os novos trabalhos. Me convidem também para o de vocês.